sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Quando as palavras cessam



Palavras caem no vazio,
O silêncio é constrangedor.
Teu rosto, impenetrável, frio.

Tão próximos e tão distantes!
Não entendo este desamor
Que fez nossas vidas errantes.

Atrás da cortina do olhar,
Retrai-se a palavra a minguar.

No peito, soluça a ilusão
Perdida. Morreu a paixão.


Mardilê Friedrich Fabre

Imagem :Google
Teoria:
http://comocriarpoemas.blogspot.com.br/2014/11/elidram.html

2 comentários:

Lea Lu disse...

Boa tarde amiga poeta
Hoje tirei um tempinho, só pra te ler.
Confesso que fiquei encantada, como seu modo de escrever.
Beijos na alma, Lea Lu/ Escbrás

Jorge Sader Filho disse...

Quando as palavras cessam, então não há mais nada, só o vazio...
Abraço.