domingo, 7 de fevereiro de 2016

Reinício


De meus olhos cai o desencanto.
Terminou o delírio, portanto,
Que me obscurecia o pensamento
E confundia-me o sentimento.

Não derramo lágrimas inúteis.
Não confio mais nas tuas fúteis
Palavras que me narcotizavam
Nem em teus olhos que me enganavam.

Enredaste-me na tua teia.
Tolo meu coração titubeia.
Confunde-se na sua certeza.
Inda não crê na tua torpeza.

Desfaço-me, então, desta agonia,
E a minha sensatez me auxilia.
Esqueço enfim nossa triste história
E principio outra trajetória.

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: vivomaissaudável.com.br

2 comentários:

Benedita bene disse...

Mardilê, parabéns pelo belo poema!
Um poético abraço e bom Carnaval!

Benedita Azevedo

Jorge Sader Filho disse...

Decidida poesia, Mardilê .
Decidida, inteligente e corajosa.
Abraço.