sábado, 14 de janeiro de 2012

Voo Certo



Conduziu-me o destino,
Voou o tempo implacável.
Mergulhei em desatino
De uma vida imemorável.

Vesti muitas fantasias,
Dissipei-me em multidões,
Chorei, mas tive alegrias,
Salvei-me de alguns roldões.

Sonhei...ah! sonhei demais!
Viajei em nuvens brancas,
Ouvi anjos em corais,
Da lua tirei as trancas.

Vivi, sim, vivi bastante!
Plainei na luz do horizonte.
Leve, ao vento esfuziante,
Afagou-me o sol na fronte.

Senti os dedos do amor,
Enérgicos, carinhosos...
Beijei os lábios da dor,
Amargos, acres, penosos...

Esbarrei com a amizade,
Com ela andei de mãos dadas.
Descobriu-me a falsidade
Em índoles disfarçadas.

Hoje caminho sem medos,
Rumo para o lugar certo,
De belezas e folguedos.
Espera-me Deus decerto.

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: Google

6 comentários:

Eritania Brunoro disse...

Lindo isso Mardi, parabéns!!! Sempre nos encantando com seus versos maravilhosos.

Anônimo disse...

Querida Mardi, lindo desabafo em poema...imaginei que a fatalidade estivesse por perto, sinto muito por tudo que tens passado.Querida amiga, sinta-se abraçada e muito amada por esta que te escreve, sempre!Bj

Jorge Sader Filho disse...

Ler Mardilê é sempre um prazer.
Basta conferir, falando baixo o "Voo Certo", simpática redondilha maior que a poeta nos apresenta.

Carinho,
Jorge

Jussara Petry - (Ponte, Passagem, Encontro) disse...

Lindas palavras. Ao ler-te passou um filme rente à menina dos meus olhos e de mãos dadas a ela, viajei, sorri, chorei e embarquei no mesmo voo certo que riscas desbravadamente o céu da tua existência e que neste céu possa eu ser nuvem sempre para que possas, quando em tempestade, descansar na parte mais "fofa" do meu colo.
Te admiro e te adoro.
Saudades

Jussara Petry - (Ponte, Passagem, Encontro) disse...

Minha doce Mardilê. Tua linda poesia remeteu-me a uma vigaem aos confins de minha alma..te li, te senti e revivi voos certos e incertos na minha longa trajetória e voltei mais sonhadora, leve, pois apesar da dor em alguns trajetos, voltei mais humana e sábia.
Linda poesia! Como sempre.....
Beijos saudosos.
Ju

Jussara Petry - (Ponte, Passagem, Encontro) disse...

Minha doce Mardilê. Tua linda poesia remeteu-me a uma vigaem aos confins de minha alma..te li, te senti e revivi voos certos e incertos na minha longa trajetória e voltei mais sonhadora, leve, pois apesar da dor em alguns trajetos, voltei mais humana e sábia.
Linda poesia! Como sempre.....
Beijos saudosos.
Ju