sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

No ritmo do coração



Foi difícil, mas consegui,
Depois de uma noite insone...
Depois de ver o sol espreguiçar-se,
Bocejar e escorrer sua luz,
Colorindo a terra...
Depois de ouvir o cântico das fantasias
Que me pulverizavam os pensamentos...
Depois de abrir as vidraças para a brisa
Que batia ansiosa na veneziana...
Depois de vestir-me de poesia
E voar como o colibri
Para junto da donzela adormecida...
Depois de peregrinar
Pela estrada aquarelada de vida...
Depois de suspirar
A doçura melodiosa de palavras,
Que exalavam os aromas do amor...
Depois de tramar lamentos e júbilos,
Permeando o tecido da imaginação...
Depois de momentos de silêncio,
Em que se desfaz a distância,
E os detalhes desaparecem...
Fazer enfim a mente
Acompanhar a cadência do coração.

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: Google

4 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

"Fazer enfim a mente
Acompanhar a cadência do coração."
Quando isto acontece, o corpo está em harmonia...

Abraço,
Jorge

Nilza Aparecida disse...

Lindo poema, criando um suspense até o fecho! Diferente e doce!

Parabéns,

Nilza Azzi

JOSENI disse...

Que lindo!!
Mas lindo é ver esse coração pulsando deliciando-se com essas maravilhosas palavras escritas aqui com o coração da autora.
Espero sua visita:

http://josenidelima.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Mardilê, querida, me apaixonei por seu poema "No ritmo do coração". Ele tem lindas figuras poéticas e um ritmo que lembra mesmo o pulsar de um coração. Adorei!

Aproveito para agradecer os bons votos para o Natal e o Ano Novo. O que sinto em relação aos amigos e a estas datas acompanham as suas belas palavras, tão bem expressas, tão caridosas.

Desejo que estes momentos sejam, para você, não só especiais em alegria, como também em renovação de inspiração para o seu eu poético e de energia para o seu eu físico. Você vai precisar muito de reforçar as suas reservas emocionais e físicas, para quando abril de 2013 chegar e você estiver curtindo a felicidade de estar entre tantos outros seres iluminados, como você, lá em Itabira...

Alegres festas! Beijos (um tanto longínquos, pois estou no MS) plenos de carinho e de afeto. Irany.