sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ser vacilante


Ser vacilante

Vaga
O ser.
Sem rumo, trôpego.
Perambula entre sombras dançantes,
Na imensidão dos enganos inacreditáveis
Que persistem em dominar os sentimentos.




Histórias de anjos

Nas paredes e tetos, escreveram-se histórias
Permeadas de risos e lágrimas.
Para decifrá-las, ouço coração
Cantar em poesia
Sobre vidas
Angelicais.

Teoria:
http://comocriarpoemas.blogspot.com.br/2015/04/escada.html

Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: Google

5 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

Criação bastante original, Mardilê.
Dá um aspecto geométrico ao poema.
Abraço.
Jorge

Anônimo disse...

Que lindos seus blogs, desejo-te muito sucesso. Lea Lu

Anônimo disse...

Amiga Mardile!

Interessante e original, as imagens muito lindas e apropriadas tambem!
Bom fim de semana!
Eloisa

Anônimo disse...

querida, gostei de conhecer esta nova forma de extravasar sentimentos. Concordo com o que vc disse, explicando porque ela pode ser considerada fácil. De fato, atrai de saída ela não estar presa à métrica poética, mas, o melhor é a possibilidade que vejo de se “brincar” mais com os temas. Experimentei criar uma “escada”: esta que estou enviando para vc. Tenho uma especial dificuldade com a pontuação, por isso, peço a gentileza de me devolvê-la com as correções necessárias - claro que não só quanto à pontuação....
Lamentavelmente, a próxima 2ª fª eu não estarei presente em nenhuma das oficinas do “Vivendo”. Tenho médicos agendados em POA e em Canoas, de manhã e à tarde.
Obrigada, desde já.
Bjinhos.
Irany

Terceira via

Amor
pode ser
fúria ou calmaria.
Indiferença, jamais! Que bobagem,
diz a mulher não desejada,
tem o meu: amor não correspondido.

Jose Rafael Hernandez Fereira disse...

Excelente a sua composição com base nesta forma poética criada por mim. Muito obrigado.