sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Cenas de vida




Na grande tela da memória,

Reavivo minha longa trajetória.

Após a chuva, pés nas poçaságua,

Menina travessa, sem mágoa.

Adolescente, na praça, o beijo roubado

E um rosto em brasa, corado.

Estudiosa, da mão do docente

O diploma recebo contente.

De branco, caminho fitando o altar.

A Ave-Maria me guia para casar.

Entro no hospital comovida,

Recebo de presente uma vida.

Com inveja a nuvem negra vem,

Fere-me o coração. Reajo, porém.

Surpreendo os fantasmas passados.

Com coragem, encaro dias embaçados.


Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: Google

4 comentários:

Celso Correa de Freitas disse...

Coragem e fé, características marcantes nas mulheres, e mais vivas ainda nas mulheres Poetas. Mulheres como Mardilê. Na construção de seus textos uma vontade guerreira de conquistar o seu leitor, o que sempre consegue, pois suas armas são palavras que nos levam da emoção a reflexão num sopro, não divino, pois a divindade não está em nós, seus leitores, mas nela! Nossa grande Poeta.

Jorge Sader Filho disse...

A bela batalha diária que travamos para viver com dignidade.
É mesmo muita coragem, Mardilê.
Abraço.
Jorge

Anônimo disse...

Lindo Mardi.
Lindo tb o que o celso escreveu.
Bjs Chica

bsazevedoma@gmail.com disse...

As mulheres fortes nunca deixam que os obstáculos lhes interrompam a caminhada e os poetas transformam, mesmo as tristezas em música, para alegrar a vida de todos nós.
Bjs
Benedita Azevedo