sexta-feira, 21 de março de 2014

Tecida de Ternura




É a chuva que me faz assim,
Voltada para mim mesma?
Ou sou eu que a aproveito
Como desculpa e me introjeto
Neste meu mundo só meu?
Inerte, pinço lembranças.
Vozes murmuram fantasias
Que, intrometidas, indesejadas,
Matizam segredos esquecidos.
Entreaberta a porta do silêncio,
Os sonhos enfileirados
Amenizam, um por vez,
As incógnitas mutações da vida.
E a pergunta brota
De meus lábios até então mudos:

De que sou feita afinal?

E manifesta-se nítida
A textura que me envolve.

E as horas que programam o tempo
Ressoam mágicas.
Tecidas de fios invisíveis
De perseverança e ternura,
Contagiam ilusões,
Preenchem vazios,
Enxugam lágrimas,
Comovem corações...
Volto meu olhar para o céu...
Um vistoso arco-íris
Sorri da minha admiração.

  

Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: Google



6 comentários:

PAULO JOSÉ - PAJO (Paulinho) disse...

Mais uma vez passo aqui para parabenizar minha amiga por este maravilhoso espaço e pelos poemas seus! Um abraço

PAULO JOSÉ - PAJO (Paulinho) disse...

Olá minha nobre amiga! Passando, mais uma vez, para parabenizá-lo pelo magnífico blog com seu riquíssimo conteúido poético! Um gde abraço

Pajo

Jorge Sader Filho disse...

Interessante como a chuva ou os dias nebulosos fazem-me pensar assim também.
Abraço, amiga Mardilê.
Jorge

Anônimo disse...

Obrigada, ilustre amiga. Irei ler durante o fim de semana.
Lóla

Anônimo disse...

Agradeço a partilha desses momentos. Obrigado!
Parabéns!
Vicente Paim
P.S. não consigo escrever um comentário...

Anônimo disse...

Olá, Mardilê. De vc, eu mato facilmente a saudade (bem, nem tão facilmente assim...): é só ler a sua postagem das 6as feiras.
Amei este seu poema livre. São mt lindas as imagens poéticas que ele evoca.
Louvo seu feliz momento de otimismo que as suas reflexões refletem. É claro que a vida é bem mais bonita qdo o nosso olhar torna-se doce e qd nossa alma torna-se leve. Somos, então, mais condescendentes para com o despedaçamento dos nossos sonhos e mais agradecidas pelos nossos pequenos sucessos.
Até o dia 31, mt querida profe e amiga.
Bjinhos.
Irany