sábado, 7 de novembro de 2015

Prelúdio



O sol desabrocha em clara manhã,
E o jardim perfuma-se de hortelã.
Meus olhos negros despertam tristonhos
Pelo cômodo dissipam-se os sonhos.

Há silêncio no horizonte laranja
Em reverência ao mundo que se arranja.
Desfaço as rugas de preocupação
Que em meu rosto desenhou a ilusão.

Os pássaros cantam em revoada,
E saúdam a vida que vem renovada.
O novo dia viçoso me abraça,
Faz das ideias negativas fumaça.

Na mata há rebuliço de animais
Livres da noite e seus riscos mortais.
Em mim soam palavras de carinho
Que me animam a seguir meu caminho.

Mardilê Friedrich Fabre

Foto: Celso Ferruda

2 comentários:

Celso Ferruda disse...

Que cada palavra deste dia seja um despertar para um novo caminho.
Que cada caminho seja construído pelo amor encontrado a beira do caminho e repleto de afeto em cada encontro....

Jorge Sader Filho disse...

Nada com o nascer do sol. É muito rico em significados.
Belíssima foto ilustrando.
Abraço.
Jorge