sexta-feira, 9 de março de 2012

Aprendendo a amar-te

.





Aprendendo a amar-te

Ao ver-te, naquele momento,
Não imaginei que contigo
Dividiria meu lamento,
Que serias meu abrigo
Neste caminho cruento.

Existo porque estás comigo,
De tua alma a minha é fragmento.
A teu lado nãoperigo,
Salvas meu coração sangrento.

Floresci com o teu amor,
Com teu carinho animador.
Descortinas p´ra mim a vida.

Aprendo a te amar lentamente,
Vibro em teu espaço silente.

Refletes minha luz contida.

Mardilê Friedrich Fabre
Imagem: Google


Teoria do Quindeto:
http://comocriarpoemas.blogspot.com.br/2015/01/quindeto.html

3 comentários:

Arquiteto de Almas disse...

Mardilê...
Além dos versos, das poesias que nos presenteia és também uma semeadora de cultura, parabéns...
CeGaToSi®

Jorge Sader Filho disse...

Não conhecia este 5/4/3/2/1, muito interessante tipo de verso.
A habilidade e beleza que Mardilê sabe imprimir aos seus versos, conheço há longo tempo...

Carinho,
Jorge

Soaroir de Campos disse...

Poeta, assim que as coisas se acalmarem por aqui vou treinar. Bjs e bom fim de semana.