sexta-feira, 11 de maio de 2012

Anjo de Candura



Na noite quieta...ouve-se sua voz...
Protege os filhos a mãe, candura,
Alivia-os de sofrimento atroz.
Preocupada, choro e reza mistura.

Protege os filho a mãe, candura,
Nada a desanima de seu intento.
Preocupada, choro e reza mistura
Enquanto o tempo move-se mais lento.

Nada a desanima de seu intento
Nem a adversidade, nem o cansaço.
Enquanto o tempo move-se mais lento
Eis que o seu destemor resulta escasso.

Nem a adversidade, nem o cansaço,
Nada dobra a mãe que defende os filhos.
Eis que o seu destemor resulta escasso,
E ela suporta, não sente empecilhos.

Nada dobra a mãe que defende os filhos,
Imuniza-a amor e sabedoria,
E ela suporta, não sente empecilhos
Perante o sacrifício ao qual se alia.

Imuniza-a amor e sabedoria
Com privilégios de mãe, nela inatos.
Perante o sacrifício, ao qual se alia,
Heroína contra as maldades de atos.

Com privilégios de mãe, nela inatos,
Palavras certas e imbatível,
Heroína contra as maldades de atos,
Tem a coragem de uma indestrutível.

Palavras certas e imbatível
Iluminam o ser quase divino.
Tem a coragem de uma indestrutível,
Faz dos filhos seu único destino.

Iluminam o ser quase divino
Ilimitadas luzes de perdão.
Faz dos filhos seu único destino,
Pouco importa para onde eles irão.

Ilimitadas luzes de perdão
Seguem os filhos em vida veloz.
Pouco importa para onde eles irão
Na noite quieta...ouve-se sua voz...

Mardilê Friedrch Fabre

Imagem: Google


2 comentários:

Arquiteto de Almas disse...

Novamente uma bela poesia, palavras expressas carregadas de verdade, emoção e sentimento. Parabéns à você também Mardilê que é mãe.
CeGaToSí®
Faço a ti como um presente a publicação deste texto em meu blog, aceite meu carinho.
Celso Gabriel...

Jorge Sader Filho disse...

Chega um momento e Mardilê fala como mãe, dirigindo-se e homenageando todas as outras.
Um belo gesto!

Carinho,
Jorge