sexta-feira, 31 de julho de 2015

Toco...





Toco teus olhos com meus lábios,
Sinto o gosto amargo da dor.
Mantivemo-nos sempre sábios...
Não sou o algoz do nosso amor.

Toco tua tez com os dedos,
Aveludada como as rosas.
Espanto todos os teus medos
E passamos horas gloriosas.

Toca meu corpo arrebatado,
Sente-o estremecer de paixão.
Meu sangue lateja inflamado.
Estou preso em teu coração.

Toco-te com minha afeição.
Não fiques alheia ao poeta
Que nasceu pela tua mão.
És de poesia completa.



Mardilê Friedrich Fabre

Imagem: lemonpeppercomqueijo.blogspot.com

4 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

É de poesia mais do que completa, Mardilê.
Excelente!

Celso Ferruda disse...

Belíssimo, parabéns! Poema que escorre pelas veias.

sonia haas disse...

Lindo.

sonia haas disse...

Lindo.