sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Grinalda de Trovas


Lua preguiçosa

Na noite tão silenciosa,
regada de nostalgia,
na trilha resplendorosa,
a lua preguiçosa ia.

A lua preguiçosa ia,
sentindo saudades tuas,
espalhando poesia,
banhando de prata as ruas.

Banhando de prata as ruas
vão estrelas pela via,
como tu que continuas
disseminando alegria.

Disseminando alegria,
atrasam-se aquelas duas,
que afastam a ataraxia,
afagando as flores nuas.

A lua preguiçosa ia,
banhando de prata as ruas,
disseminando alegria,
afagando as flores nuas.





Mardilê Friedrich Fabre

Imagnes: Google


9 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

Trovas! Quem não gosta?
Uma trova complementando a outra, Mardilê. Um desafio consigo mesma.
Gostei muito; adoro trovas.

Carinho,
Jorge

Jorge Passos disse...

Belíssimo Trovadora Mardilê! Tomamos a liberdade de publicar no blog da Confra!

http://confrariadospoetasdejaguarao.blogspot.com/2011/08/lua-preguicosa.html

Abraço

Cecilia Ferreira disse...

Olá Mardilê,bem-vinda à Cia dos Blogueiros.Agora sigo-a. Estive visitando a sua poesia. Visite a minha. http://doleredolar.blogspot.com/2011/08/segredo.html
Abraço

Cidadão Araçatuba disse...

Olá, passei para dar as boas vindas a Cia dos Blogueiros.
Abraço!

Francine Ribeiro disse...

delícia de poesia!

Parabéns!

Elisa T. Campos disse...

Poesias se enlaçando até encontrar a lua.

bjs

João Sávio dos Santos Lima disse...

A verdadeira arte de trovar, tens, ela está na tua alma, parabens Mardilê!!!

disse...

Mardilê querida teus poemas são a vida que teu espirito guarda transforma em lindas estrofes e nos faz muitas vezes verter uma lagrima
Abençoada sejas bjinhos da amiga Té

disse...

Amo os teus poemas são lindos bj Té